Lá se pensam, cá se fazem.

REDE DE TROCAS

A REDE DE TROCAS é uma plataforma para a troca de serviços mútuos dentro da comunidade de língua portuguesa na diáspora, em diálogo intercultural com o país de acolhimento e visando a inclusão social dos emigrantes. / / / Tem um problema que não consegue resolver? Precisa de ajuda? E está sozinho? Mas talvez saiba… cozinhar, passear o cão, fazer babysitting, ensinar português? Problema resolvido! A REDE DE TROCAS cruza as suas necessidades com as dos demais utentes e encontra a pessoa indicada para o acompanhar à tal repartição, ou preencher aqueles impressos, em troca daquela tarte de maçã que só você sabe fazer. / / / O projeto-piloto é feito na Alemanha, numa segunda fase deverá ser alargado a outros países. Queremos combater a emigração desinformada, a exclusão, o isolamento em guetos, e estimular as competências sociais dos emigrantes para resolver os seus problemas mutuamente. A REDE DE TROCAS funciona através de uma plataforma online assente numa base de dados com as competências profissionais e sociais dos emigrantes: os utentes da REDE DE TROCAS indicam a formação e emprego desejado, mas também AQUILO QUE PRECISAM concretamente para resolver problemas, e aquilo que estariam dispostos a OFERECER EM TROCA - o seu perfil social. Para as pessoas que não tenham internet, a nossa equipa pode criar um perfil, por forma a que essas pessoas também possam ser contactadas. Desta forma, através de uma base de dados organizada e um sistema ativo de cruzamento da informação, é possível as pessoas obterem ajuda concreta da comunidade para as suas necessidades reais. Para além dos perfis dos utentes, na REDE DE TROCAS são constantemente incluídas informações úteis e atualizadas para os emigrantes em várias áreas, como procura de emprego, habitação, segurança social, troca de experiências, workshops, etc. / / / A REDE DE TROCAS publica a informação em português e na língua do país de emigração, para incentivar e fomentar a troca de serviços com a comunidade local do país de acolhimento e contribuir assim ativamente para uma integração mais eficaz da comunidade emigrante, bem como para a valorização do papel dos emigrantes como mais-valia aos olhos do país de acolhimento. / / / COMO FUNCIONA A REDE DE TROCAS? Através de um interface convidativo, os utentes da Rede de Trocas podem inscrever-se gratuitamente e usar as suas competências profissionais e sociais como moeda de troca para cobrir as necessidades de momento. Cada um insere dois perfis complementares: o PERFIL PROFISSIONAL (experiência, formação, ocupação, curriculum etc) e o PERFIL SOCIAL (interesse, coisas que saiba fazer e que possam ajudar outras pessoas, hobbies etc). Por fim, indica aquilo que ESTARIA DISPOSTO a fazer temporariamente (mesmo que não esteja dentro da sua formação, como trabalhar num bar ou fazer limpezas) e as suas NECESSIDADES de momento - sejam a nível de emprego, de apoio no dia-a-dia, de preenchimento de papéis ou na inserção ao país, ou até mesmo alguém que vá fazer as compras ao supermercado ou cuidar dos filhos por uma tarde. A REDE DE TROCAS cruza a informação dos seus utentes e sugere perfis de pessoas que poderiam prestar os serviços pedidos. Os utentes entram em contacto e negoceiam os termos da troca de serviços. / / / Exemplo: "O João é designer gráfico, está em Berlim há 2 meses e ainda não tem trabalho. Já se inscreveu no curso de alemão mas ainda tem o nível principiante. Tem de ir a uma repartição tratar de muita burocracia mas não entende o que lhe dizem nem consegue explicar o que quer. Para além do design, gosta de voluntariado (trabalhou 1 ano numa instituição portuguesa para crianças deficientes) e adora cozinhar. Está preocupado porque ainda não regularizou a sua situação na Alemanha e tem mais dúvidas que respostas." "A Annika é alemã, tradutora oficial português-alemão, tem dois filhos pequenos e muito trabalho. Gosta de conviver com pessoas, mas entre o trabalho e a família não lhe sobra muito tempo livre. Tem muitas saudades das férias em Portugal." Através da REDE DE TROCAS, o João e a Annika travaram conhecimento. A Annika ofereceu-se para acompanhar o João a duas repartições, por duas manhãs, para traduzir as suas perguntas e ajudar no preenchimento dos impressos; em troca, o João vai fazer babysitting aos filhos da Annika durante uma tarde (enquanto a Annika vai finalmente encontrar-se com as amigas), e ainda cozinhar um jantar típico português para 4 pessoas no fim de semana a seguir (os ingredientes são pagos pela Annika). Para além disso, estão já a desenvolver a ideia de o João fazer os convites para a festa dos 10 anos da empresa do marido da Annika – esse trabalho será pago. / / / PROTEÇÃO DA PRIVACIDADE: Há muitos emigrantes qualificados que numa primeira fase de adaptação estão dispostos a fazer tarefas abaixo das suas qualificações, enquanto não conseguem algo mais adequado às expectativas. No entanto, não querem divulgá-lo publicamente. "A Marta é artista plástica. Veio para Munique à procura de um sonho – e nos últimos 3 meses só tem esbarrado com a realidade. Apesar de um percurso profissional invejável, e de ter um trabalho apalavrado que começa de aqui a um mês, precisa de ganhar dinheiro o mais depressa possível para pagar as contas. Tem sobrevivido a trabalhar num hostel e não se importa de fazer limpezas. Mas não quer que isso conste em nenhuma divulgação pública." A REDE DE TROCAS possibilita duas modalidades: um perfil público (acessível a todos os utentes) e um perfil privado (acessível apenas à equipa que mantém o site). Assim, a Marta pode oferecer os seus préstimos profissionais e manter a sua restante informação privada; caso exista um utente que possa estar interessado em limpezas, a REDE DE TROCAS pergunta à Marta se estaria interessada em entrar em contacto com esse utente; o resto é feito entre os dois. / / / A REDE DE TROCAS insere-se no programa BERLINDA AÇÃO SOCIAL, de apoio e ajuda à comunidade de língua portuguesa em Berlim, promovido pelo magazine BERLINDA.ORG. Propomo-nos mobilizar a comunidade emigrante para ajudar as pessoas com dificuldades a resolver os seus problemas, fomentar o espírito de entreajuda e lutar contra a exclusão social e a solidão. O projeto-piloto é na Alemanha, devendo numa segunda fase ser alargado a mais países.

Ines Thomas Almeida

Visionário
Berlim, Alemanha

Lucia Vicente

Facilitador
Berlin, Alemanha

Sarah Almeida

Comunicador
Lisboa, Portugal

Comentários