Lá se pensam, cá se fazem.

Raízes

Com cerca de 15 milhões de luso-descentes (contabilizados até à 3ª geração) a residir no estrangeiro, a diáspora portuguesa apresenta um grande potencial, quantitativo e qualitativo. Nota-se, contudo, a falta de um projecto global estratégico, que una as diferentes comunidades, que estabeleça fortes ligações a Portugal e que promova o país no estrangeiro. O conceito do projecto Raízes parte de uma ideia simples: trazer jovens luso-descendentes residentes no estrangeiro a conhecer Portugal, a sua História, a sua actualidade e as suas potencialidades futuras, numa viagem curta e intensa. As viagens serão oferecidas, ou de custo reduzido, e terão a duração de 10-11 dias. Serão organizados grupos de aproximadamente 40 pessoas que habitem uma mesma área geográfica no seu país de acolhimento/origem e, à chegada, encontrarão 5-10 jovens portugueses, fazendo juntos todo o percurso num autocarro de turismo. A acompanhar estarão guias educativos experientes, jovens e entusiastas sobre o país, que consigam fazer destas viagens um projecto de educação, descoberta e partilha. Assim, trazendo para a esfera das comunidades uma juventude dinâmica, com educação superior e ligada a Portugal por meio de uma experiência marcante de aprofundamento do conhecimento do país e da nossa cultura, pretende-se a criação de um sentimento de pertença a uma identidade comum; a manutenção de laços afectivos que originem possíveis regressos, em intercâmbio pessoal e profissional com Portugal; e o aumento dos números e capacidade de organização, participação e networking das comunidades portuguesas no estrangeiro, entre estas e com o país. A população alvo para este projecto são jovens entre os 18-26 anos, que consigam comprovar ascendência portuguesa até à 3ª geração. Não será necessário o conhecimento da língua portuguesa, e dar-se-á preferência àqueles que nunca estiveram em Portugal. Será também requerida a entrega de uma carta de motivação que ajude na selecção dos melhores candidatos, futuros porta-vozes do projecto, ou seja, indivíduos esclarecidos, capazes de transmitir de forma entusiasta e aliciante a experiência passada em Portugal, incentivando outros a participar. A escolha da idade limite para participação no programa deve-se a algumas razões principais: primeiro, o facto de esta ser uma viagem intensiva, focada na “experiência total” e não no “conforto total” – dias cheios, longas viagens de autocarro, estadia em pousadas/dormitórios e nunca em quartos individuais, etc. Segundo, quere-se possibilitar uma experiência intensa para mentes da nova geração, em formação e que tenham ainda a oportunidade de escolher o rumo da sua vida profissional, visto que geralmente os membros mais activos no seio de organizaçãoes de comunidades portuguesas são pessoas da 1ª geração emigrante, que tendem ainda a transmitir, em geral, uma ideia de Portugal antigo, mais ligado à tradição que à inovação. Por último, estas são as gerações com maior utilização de redes sociais, indispensáveis ao envolvimento futuro nas actividades da comunidadee à publicidade e sustentabilidade do projecto Raízes.

Guilherme Serodio

Visionário
Bruxelas, Bélgica

Raquel Morte

Facilitador
Lisboa, Portugal

Comentários