Lá se pensam, cá se fazem.

Mentes Empreendedoras - Talento e liderança juvenil para a comunidade

IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA: Portugal enfrenta importantes desafios quando comparado com os seus parceiros europeus: baixa participação social, capital social e qualificação. Participação e Capital Social - reduzida participação de indivíduos em organizações (5,26% da população jovem, face à população total, é membro de uma organização juvenil – Questionnaire on Participation Portugal da EU-CoE Youth Partnership, 2007); - baixo nível de participação em actividades de voluntariado (12,7% da população portuguesa está ligada a actividades de voluntariado – Voluntary Action in Portugal: Facts and Figures 2001); - elevada taxa de abstenção (41,1% nas eleições de 2011 para a Assembleia da República – PORDATA); - Em 2008, antes do Recenseamento Eleitoral automático, mais de 300 mil jovens com idades entre os 18 e os 24 anos não tinham respeitado a obrigação legal de fazer este recenseamento (Paulo Machado, “A Polémica sobre o universo eleitoral português”, Fundação Francisco Manuel dos Santos) Baixo nível de Qualificação - baixo nível de qualificação da população (em 2010 32% da população atingiu o ensino secundário – Education at a Glance 2012, OCDE); - média de anos de escolaridade em Portugal é de 7,7 anos (Human Development Report, 2013); - alta taxa de abandono escolar precoce (23,2% - Observatório das Desigualdades do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa, 2011); - elevada taxa de desemprego jovem entre 15 e 24 (40% - INE, 4º Trimestre, 2012); Projecto Mentes Empreendedoras (ME) é um actor que dá um contributo significativo para progressiva inversão destes indicadores. Os indicadores demonstram: a) O potencial de transformação desaproveitado de 340 mil jovens (ensino secundário – PORDATA, 2011). b) A existência de instituições ainda pouco aproveitadas pelos jovens e o potencial de incentivo para um maior e melhor aproveitamento, que irá permitir a essas mesmas instituições alavancar a suas capacidades e respectivos recursos. c) Deficiente experiência prática, capacidade de aprendizagem, de ser e construir a mudança num contexto que espera o contrário dos jovens (baixo nível de qualificação, pouco tempo de frequência escolar e elevado abandono escolar); d) Desmotivação da parte dos jovens (prematuro abandono escolar e reduzida integração e envolvimento de jovens em organismos de juventude ou em acções de voluntariado); e) Desvalorização da necessidade de intervir e participar civicamente por parte dos jovens (progressivo afastamento da classe política, elevada taxa de abstenção e baixa participação cívica e social). Este contexto demonstra a necessidade de fomentar uma cultura de proactividade, de execução e de liderança que é fundamental promover junto dos futuros decisores. PROPOSTA DE VALOR: - É necessário concretizar o potencial de liderança e transformação – atitude ‘can do’ (fazer) e ‘learn by doing’ (aprender fazendo) – dos cidadãos portugueses começando pelos jovens. - O projecto ‘Mentes Empreendedoras’ quer fomentar esta atitude nos jovens portugueses dentro do espaço escolar e envolvendo toda a sua comunidade. O enraizamento e apropriação desta experiência junto da comunidade escolar permite o replicar do processo e consequente sustentabilidade. - É crítico proporcionar aos portugueses, desde cedo, um ambiente que encoraje e desenvolva a sua iniciativa, criatividade, vontade de aprender e capacidade de estruturar e resolver problemas. Tal vai desenvolver o talento dos jovens e as suas competências de liderança. - A escola secundária torna-se cada vez mais um espaço catalisador do potencial dos jovens de acreditar em si próprios e na sua capacidade de transformar e liderar. - É um projecto de jovens para jovens, que pretende promover o envolvimento e participação social dos alunos e canalizar a sua energia, criatividade e vontade de fazer para a concretização do seu potencial transformador e de arriscar – que se traduz na implementação de uma ideia/projecto. - Ao trabalharem numa causa própria ou num projecto pensado por si, é activado o seu ímpeto de acção e motivação para desenvolverem a sua ideia (e a si próprios) de forma mais eficiente e eficaz. - Revela-se urgente incutir-lhes motivação e confiança, para além de conhecimentos e vivência de experiências concretas que possam servir de estímulo à atitude empreendedora, à criatividade, à autonomia na concretização de projectos e ao seu desenvolvimento pessoal. - O objectivo é que os jovens concretizem ideias próprias, ganhem experiência a desenhar e implementar projectos e criem referências e inspiração para si mesmos e para os outros. - Através deste processo criativo, os jovens têm a oportunidade de potenciar o seu talento por via da resolução de problemas que, por sua vez, os capacita como cidadãos mais competentes e, ao mesmo tempo, beneficia a comunidade. Paralelamente pretende-se que seja um caminho de auto-descoberta e aprendizagem e de aquisição de novas capacidades e competências de desenvolvimento pessoal (por exemplo, uma das mais relevantes, a liderança). ATITUDE ‘MENTES EMPREENDEDORAS’ E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS - O ME é um projecto para a consciencialização, reconhecimento, activação e valorização das capacidades dos jovens. - Os jovens são possuidores de competências mas precisam de encorajamento para as pôr em prática. - Verifica-se a necessidade de fomentar uma mudança de mentalidade/atitude que foque a motivação e a iniciativa para um maior envolvimento e participação nas diferentes actividades por parte dos jovens. - A linha de actuação do ME é o fomento de uma forma de estar/fazer (atitude/mentalidade) específica. - Pretende incutir uma mentalidade ‘can do’ e ‘learn by doing’, que assenta na participação activa e envolvimento directo, no pragmatismo e flexibilidade e ainda no pensamento crítico e alternativo face a desafios. Ao longo do processo ME, o jovem desenvolve a seguinte atitude: - Proactividade: envolvimento e participação social activa; - Pragmatismo: ser prático, objectivo e focado no fundamental; - Vontade de Aprender: é reforçada, por um lado, a auto-descoberta e auto-aprendizagem e, por outro, são promovidas iniciativas de aprendizagem; - Orientado para a Solução: o que não funciona só interessa para descobrir o que pode funcionar; perante um desafio/obstáculo, é importante não parar de testar alternativas até chegar à solução; - Arriscar: e se? Testar para compreender se uma ideia funciona; - Capacidade de liderança e referência: os pioneiros implementam os seus projectos até obter resultados e esses resultados são inspiração para si próprios e para seus pares; - Pontualidade: os prazos são propostos pelos jovens e são cumpridos. Ao incutir esta atitude e no desenrolar do processo ME, está implícito o desenvolvimento e aquisição das seguintes competências em diferentes momentos: - Organização e planeamento: organizar a ideia e gerir o tempo; - Capacidade de estruturar e resolver problemas: dividir o problema/projecto em passos pequenos para uma mais fácil resolução e para manter a motivação ao ver pequenas vitórias; - Criatividade e espírito de inovação: estímulo à acção, concretização de ideias novas e diferentes; - Auto aprendizagem: ser promotor da sua própria aprendizagem, saber onde procurar informação e como usá-la; - Comunicação assertiva e capacidade de argumentação (oral e escrita): apresentar o projecto no Clube ME e na comunidade escolar; - Escuta Activa: ouvir e compreender o que o outro diz; - Trabalho em Equipa: gerir e planear os projectos e do Clube ME através de dinâmicas de grupo. Todos os jovens envolvidos são convidados a elaborar um Plano de Crescimento Pessoal onde definem quais as áreas de aprendizagem relevantes para o seu desenvolvimento individual (por exemplo, literacia financeira, gerir uma reunião de trabalho ou discursar em público) mas também do projecto (por exemplo, conhecimentos técnicos) e respectivos indicadores para se auto-avaliarem e analisarem o seu progresso. O impacto da acção do ME nos jovens torna-os em cidadãos mais motivados, capazes e responsáveis, características que definem os líderes e decisores do futuro.

Afonso Mendonca Reis

Visionário
Zurique, Suíça

Marta Correia

Facilitador
Lisboa, Portugal

Comunicador
,

Comunicador
,

Comunicador
,

Comentários