Lá se pensam, cá se fazem.

À Mesa é que se Discute

Na actual situação económica, política e social que atravessamos, as oportunidades para desenvolver projectos pessoais são cada vez mais reduzidas. Frequentemente a motivação é bloqueada, não só por questões logísticas e financeiras mas, também, pela ausência de contactos suficientes para se pôr em prática uma ideia original. Por mais excepcional e criativo que seja um projecto, a impossibilidade de o implementar apenas reforça a desmotivação social e uma estagnação produtiva e geracional. E se existisse uma base de dados, onde se pudesse apresentar, encontrar ou oferecer serviços, em troca de outros? 'À Mesa é que se Discute' permite a partilha de ideias entre particulares, conduzindo o processo de conexão de interesses que se complementam, a uma fase em que os intervenientes agendam um encontro para discutir a viabilidade dos projectos. == Website == A nossa ideia tem como ponto de partida a criação de uma plataforma digital, com o objectivo de unir uma rede de profissionais interessados em publicar projectos e desenvolver um mercado de novas oportunidades e parcerias de trabalho, sem qualquer investimento obrigatório. Para tornar a pesquisa acessível, os projectos inseridos na plataforma são organizados de acordo com áreas de conhecimento, o que permite filtrar a informação adicionada, facilitando, assim, o encontro dos potenciais parceiros. Cada utilizador terá de criar uma conta gratuita e apresentar, em linhas gerais, os princípios e objectivos da sua proposta. Esta informação, de acesso público, será mantida ‘online’ por um período de 30 dias, com a possibilidade de ser reinserida, caso o projecto ainda se encontre actual/activo. Desta forma, a informação armazenada na plataforma é controlada e constantemente actualizada. Finalmente, os tipos de obrigações, níveis de exigência, os meios e resultados esperados, deverão ser esclarecidos e acordados no início de cada parceria, justificando, assim, uma troca de serviços de igual valor para ambas as partes. O conceito de troca de serviços poderá surgir entre diferentes áreas de interesse. Exemplo: Sou Arquitecta e necessito de um webdeveloper /advogado, interessado em desenvolver o meu website/preparar um contrato; este, por sua vez, procura um Arquitecto para remodelar o seu escritório. Conforme o nível de exigência solicitado, todos os projectos são reconhecidos como viáveis num (negociável) período de tempo. == Eventos de Networking == Numa segunda fase o projecto “sai à rua”. A equipa criativa, promotora da plataforma digital, gere a base de dados inserida no website e promove a criação de eventos temáticos (em torno de uma mesa), que proporcionem encontros entre parceiros, com áreas de interesse consideradas complementares e de elevado valor cultural e/ou social, valorizando as habilitações e capacidades de cada um. == App == A criação de uma aplicação disponível em dispositivos móveis (telemóvel e 'tablets') irá oferecer um serviço portátil mais imediato. Esta aplicação funcionará como um servidor da base de dados acessível no ‘website’. O utilizador do site terá a oportunidade, caso deseje, de se conectar e encontrar potenciais parceiros através de um sistema geo-estratégico, que permite localizar pessoas com interesses comuns/ complementares, num curto raio de distância. Este é um plano desafiante e motivador no que respeita à eficácia e rapidez na troca de interesses e projectos.

Carolina Teves de Oliveira

Visionário
Londres, Reino Unido

Ana Forjaz Vieira

Facilitador
Londres, Reino Unido

Filipa Alves de Sousa

Comunicador
Londres, Reino Unido

Comentários