Lá se pensam, cá se fazem.

Mipa - Museu da Cidadania, Democracia e Participação

O Mipa será um espaço museológico com residência física, com uma programação regular preparada para itinerância nacional e internacional. O nosso grupo pretende criar condições para trabalhar os aspetos essenciais ou exemplares da prática democrática, que fomentem a participação e o envolvimento dos cidadãos. Este espaço permitirá a troca de experiências entre gerações e a criação de sinergias com outras redes da sociedade civil, com experiências inovadoras no campo da democracia participativa, em associação com organizações e instituições nacionais e internacionais, mas também com o mundo académico (alunos, professores, centros de investigação) e administração pública. As mostras, exposições, oficinas e outras ações educativas/formativas terão como destinatários o público em geral, particularizando a sua ação nos alunos de todos os graus de ensino a partir dos seis anos. Numa primeira fase pretendemos que as obras, e outras criações sejam realizadas para representação do Mipa, em regime de itinerância. Desse modo, poderemos responder a solicitações de outras instituições e comunidades locais, promovendo parcerias, com escolas, centros culturais, museus e associações. Esta fase terá o objetivo de comunicar e apresentar o Mipa aos parceiros sociais e culturais, sugerindo outras experiências e práticas de participação criativa e democrática, em Portugal e no mundo. A funcionar na sua plenitude a estrutura deverá contar com espaços adequados para exposições temporárias e permanentes, oficinas e outras experiências de aprendizagem colaborativa, com capacidade de dar uma resposta adequada a cada uma das suas necessidades. Alguns dos temas que pensamos abordar são: 1 - História da democracia em Portugal e no mundo. A memória histórica e memória coletiva. Discursos e narrativas. 2 - As melhores práticas e experiências: desde as tradicionais às tecnológicas, redes locais e globais, ambientais e urbanísticas, rurais e digitais, entre outras. As propostas de interferência, ação e experiência serão apresentadas e consolidadas em colaboração com os criadores e instituições parceiras. 3 - Boas ações de cidadania participativa: finalizar cada fase projetual com um conjunto de ações capazes de concretizar as ideias com o envolvimento de um número, que se pretende crescente, de cidadãos implicados. 4 - O tempo presente. Outras culturas e civilizações. Outras realidades: fortalecimento do projeto através da constituição de uma rede nacional e internacional de intercâmbio de experiências e ações capazes de contribuir para uma reflexão ampliada. Pretendemos que a integração desses documentos e registros, em primeiro lugar se centre, em naturais associações com as instituições e propostas de países lusófonos e iberoamericanos. Noutros espaços, pretendemos dar visibilidade a trabalhos de artistas jovens e consagrados, e outras contribuições de estudantes dos vários graus de ensino. Pretendemos integrar na programação dessas propostas, uma série de debates públicos, conferências, projeções de filmes, documentários e outros registos audiovisuais, sempre sugeridos no âmbito dos processos, ações e experiências criativas realizadas. Nesses espaços de experimentação, a nossa intenção será a de organizar a capacidade de interferência cívica dos cidadãos, através de um conjunto de exemplos relativos a outras práticas e experiências democráticas. Essas ferramentas devem permitir que se fortaleça a criatividade e o engenho, para organização do espírito humano, numa lógica proativa de interferências construtivas.

Tiago Joel Almeida

Visionário
São Paulo, Brasil

Miguel Marques

Comunicador
Porto, Portugal

Mariana Bacelar

Facilitador
Porto, Portugal

Comentários