Lá se pensam, cá se fazem.

Sorrisos Sem Fronteiras

Estar em contacto com pessoas diferentes, ter diferentes experiências e diferentes circunstâncias; ajudam-nos por vezes a perceber algumas questões que aumentam a nossa visão de certos problemas e estimulam de certa forma a nossa preparação para dar melhores respostas e soluções. São vivências humanas e é pelo contacto direto com essas experiências que conseguimos estabelecer a dicotomia entre o que é bom e mau; avaliar entre o fraco e o forte e valorizar o que é ter sorte ou azar. No campo da Saúde Oral é exatamente o mesmo cenário. O facto de termos a possibilidade de ter acesso a cuidados e assistência de Saúde Oral de qualidade é um fator que devemos valorizar, quando uma grande parte da população mundial nem vive, nem pode contactar com essa realidade. No entanto em Portugal, país pertencente ao designado primeiro mundo e onde os dirigentes políticos intitulam de um país como voltado para a “Inovação e Educação”, uma grande parte da população Portuguesa continua a não ter acesso à Saúde Oral. A resposta é variada e pode ser dirigida em vários sentidos, mas a pouca consciencialização e importância da Saúde Oral podem ser a razão do problema. No entanto é bom frisar que uma grande parte da população Portuguesa vive no limiar da Pobreza e que os indicadores da má Saúde Oral, estão relacionados com estes fatores sociais que fazem com que grande parte da população não possa aceder aos consultórios dentários. A Mundo a Sorrir – Associação de Médicos Dentistas Solidários Portugueses, uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento, surgiu com principal objetivo de promover a saúde e o bem-estar das comunidades mais desfavorecidas. Sendo pioneira neste tipo de associativismo em Portugal, desempenha a sua ação tanto a nível nacional como internacional, através de programas de saúde e apoio ao desenvolvimento sustentado. Promovendo a saúde oral além-fronteiras (Cabo-Verde e Guiné-Bissau), permite que o Direito Universal à Saúde (um cuidado especial na prevenção das infeções cruzadas, especialmente no vírus HIV/SIDA) e mais concretamente à saúde oral seja uma realidade para algumas comunidades que, infelizmente não têm acesso aos cuidados dentários. O projeto “Sorrisos Sem Fronteiras” pretende criar uma plataforma online, no site da Mundo a Sorrir, onde Médicos Dentistas de Nacionalidade Portuguesa, residentes no estrangeiro, possam associar-se às iniciativas desenvolvidas pela organização. Desta forma estes profissionais integrarão uma rede, que anualmente atribuirá bolsas tendo em vista a participação nos projetos em Portugal e nos PALOP´s. Esta iniciativa será coordenada por 3 associados fundadores da Mundo a Sorrir, que atualmente vivem em Inglaterra, Holanda e Suécia. As suas funções passarão por reunir o envolvimento dos Médicos Dentistas Portugueses que se encontram fora do país, estimulando-os a aderirem à plataforma online e assim integrarem os projetos nacionais e internacionais levados a cabo pela organização. A inscrição dos Médicos Dentistas terá em conta o pagamento de uma taxa anual de 20 euros, onde receberão informações relativas aos projetos da Mundo a Sorrir e farão parte de uma promoção das atividades e dinâmicas da ONGD nos países onde estão sediados. Anualmente serão abertas candidaturas para participação de médicos dentistas que residam fora de Portugal, onde o seu financiamento vai ser suportado por esta plataforma.

José Pedro Neves

Visionário
Porto, Portugal

Marta Nascimento

Facilitador
Estocolmo, Suécia

Fernando Miguel Amaral

Facilitador
Holanda, Holanda

Comentários